Theresa Catharina de Góes Campos

  OS RECÉM-CHEGADOS

(miniconto)

Não vieram me fazer uma visita social, nem chegaram como hóspedes convidados ou como vizinhos me solicitando ajuda, nem me pedindo algo emprestado. Vieram para ficar, viver comigo, adequados à minha rotina, embora com vida própria, autêntica. Encontraram o seu espaço, que ocuparam harmonizados ao ambiente.


Os recém-chegados são bem tranquilos. Inspiram uma sensação de alegria e paz, transmitindo lirismo com serenidade, perfeitamente integrados à paisagem interior da residência.


"Corajoso", o pequeno cão São Bernardo, uma raça canina natural dos Alpes suíços, nem discutiu comigo, aceitando o cantinho que escolhi para ele, pertinho do sofá. Assim, de tão à vontade, dá a impressão de ter sido uma escolha sua, ficar na sala, como lugar preferido, próximo à entrada do apartamento.


Entre as características da raça, vigilante e muito ativa, inclui-se uma excelente habilidade no trabalho de resgate, assim como um temperamento dócil, calmo e amável. Um bom animal, que não dá trabalho, nem perturba o dia a dia de uma casa, enfim, semelhante a toda "pessoa do bem". Nem poderia ser diferente, quando recordamos que os cães São Bernardo se tornaram célebres por saírem vencedores em situações dificílimas, nos desafios que enfrentam para resgatar acidentados na neve, inclusive após avalanches.


O meu "Corajoso" tem uma respiração pausada e regular, em seu encantador "repouso do guerreiro".
Quando regresso ao apartamento, mesmo ao contemplar o cãozinho dormindo, tenho a impressão reconfortante de que me recebe, pois não se deixa perturbar pelo som da porta que abre e depois se fecha. Meu olhar vai primeiro para ele, imperturbável no sono. Um encontro no silêncio. Uma compreensão entre dois seres diferentes, compartilhando um espaço residencial.


Ao sair, meus olhos levam comigo a sua imagem de tranquilidade, que me inspira confiança.


"Corajoso" não chegou sozinho. Com ele vieram quatro peixinhos coloridos. Coloquei o pequeno aquário em lugar estratégico, visível do corredor - no espaçoso banheiro social.


Os que me visitam afirmam se encantarem com essas novas presenças na casa. Já os trouxe com os nomes escolhidos: o cãozinho da raça São Bernardo, "Corajoso", mais os pequeninos na água - Esperança, Alegria, Entusiasmo e Amor. A qualquer pessoa eu recomendaria todos eles como hóspedes residentes que em nada perturbam e contribuem para manter um ambiente de harmonia saudável.


Significativo para mim foi o lugar onde os encontrei: na livraria preferida, entre centenas de livros e dezenas de outros artigos (presentes e produtos de papelaria).


Podem acreditar em todos os detalhes desta história verdadeira. A quem me pergunta se o São Bernardo e os peixes coloridos são "de verdade", logo explico:


"Sim! Na fantasia e nos sentimentos de minha imaginação, eles têm vida!"


Theresa Catharina de Góes Campos
Brasília - DF, 10 de março de 2014


De: Hercilia Lopes Lopes
Data: 10 de fevereiro de 2014

Oi, Theresa, obrigada pelo seu texto OS RECÉM-CHEGADOS (miniconto). É de belas palavras que devemos nos rodear.
Já li o livro "Território da Fantasia", de Ceres Alvim, e volto a te agradecer por tão agradável leitura.

Abraços,
Hercília


De: Elizabeth Barros
Data: 28 de fevereiro de 2014

Querida Tia Therezita, eu achei maravilhoso, este texto da senhora sobre os peixinhos e o cãozinho São Bernardo, que estão em sua casa.
Foi uma idéia ótima da senhora comprar esses lindos companheiros.
Um beijo, da sobrinha Elizabeth.


NOTA DA EDITORA:
Minha irmã Victoria me surpreendeu, um ano depois, ao me pedir para que eu encontrasse, para ela, um cãozinho "igual ao seu, só quero se for igual ao que você tem!", me disse, determinada em sua exigência.
Enfrentei uma certa dificuldade, no início da busca, mas consegui achar, em uma papelaria, um animal igualzinho ao meu, para presenteá-la. Contente, Victoria logo me informou que havia escolhido o nome bíblico "Filêmon" para colocar no filhote de São Bernardo.

http://www.theresacatharinacampos.com/comp6184.htm

Theresa Catharina de Góes Campos
Brasília - DF, 15 de março de 2015


De: Monaliza Arruda
Data: 21 de julho de 2015

(...)
Linda, a descrição sobre os "fofos" moradores de sua casa. (...)
Monaliza

 

Jornalismo com ética e solidariedade.