Theresa Catharina de Góes Campos

     
PENSAMENTOS: a visão ampliada de quem enxerga o próximo com altruísmo e generosidade - Theresa Catharina de Góes Campos


Pequena - sem perspectiva e visão - é a vida dos egoístas. Quem enxerga o próximo com altruísmo e generosidade 
revela uma capacidade de empatia já reconhecida como fundamental para alcançarmos  a paz. 
Theresa Catharina de Góes Campos
------------

Há grupinhos que se formam por interesses recíprocos - alguns, inconfessáveis e disfarçados - e, na percepção covarde se avaliando como superiores no poder e na força do número, passam a rejeitar, individual e coletivamente, uma ou mais pessoas fragilizadas por sua individualidade, independência intelectual e condição socioeconômica.
Não compactuo com essa covardia, não aceito e por isso continuo incluindo em minhas relações de convivência quem está sofrendo aquela rejeição. Afinal, sou agregadora, jamais colaboro para segregação.
Theresa Catharina de Góes Campos
------------

Ante o que nos perturba profundamente - sejam acontecimentos ou palavras - o que fazer? Por que agora se calar ? 
Hoje e amanhã, a quem se vai falar, quando o que se pretendia dizer mudou, com a visão de imagens despedaçadas em seu significado?
Quando a realidade nos sufoca e perturba, o sonho não deverá ser fuga, precisa ser um projeto novo, a construir no presente.
Theresa Catharina de Góes Campos
------------

As relações humanas, os contatos, a convivência amiga, o tempo finito com meus familiares compartilhado, afetiva e carinhosamente. Conheço os muitos tesouros de que sou rica. Não preciso perder vidas preciosas para lhes dar a importância merecida. As arcas abarrotadas de imensa ternura que guardo brilhando em meu coração têm luz de farol e poder de sementes, tão férteis quanto as palavras intensas, por seu significado transformadoras.
Theresa Catharina de Góes Campos
------------

Elogie, com sinceridade, as realizações e qualidades do próximo, sejam amigos ou não. Uma questão de justiça, de maturidade. Aprenda a enxergar ações construtivas e virtudes alheias, fazendo dessa conscientização um aprendizado. 
Theresa Catharina de Góes Campos
------------

A nossos olhos (e ouvidos) surgem incontáveis exemplos de pais que não educam os filhos. Aos celulares e outros dispositivos eletrônicos, delegam a tarefa de manter ocupados os menores egoístas e indisciplinados. A omissão paterna e materna deseduca. A negligência irresponsável dos pais, apesar de legalmente responsáveis por sua prole, deseduca, para a vida e a sociedade. Vão lidando com as exigências individualistas desses filhos obcecados pelo consumo, sem disciplina, sem valores humanistas. 
Mimar não é, nunca foi, nem será educar. Os pais omissos deseducam porque apenas treinam a prole para o egoísmo. Um treinamento que se processa no desrespeito aos outros, desde a mais tenra idade; e na ausência de uma comunicação desinteressada com o próximo. Falta a educação para sentimentos nobres. Falta o aprendizado e a prática de virtudes e valores. 
Theresa Catharina de Góes Campos
------------

A amizade é gentil. E nos faz crescer. Companhia que leva à prática de crimes não é amiga, mas inimiga. Amigos aumentam nosso potencial para o bem. Louvado seja Deus pelas amizades que coloca em nosso caminho. Com amigos e os Anjos, mensageiros divinos, realizamos mais e somos pessoas melhores. 
Theresa Catharina de Góes Campos
------------

As histórias reais de filmes como "Adeus, Meninos" (Au revoir les enfants - 1987), "Os meninos que enganavam nazistas"  (Un sac de billes, 2017), "A viagem de Fanny" (Le voyage de Fanny - 2015) e, felizmente, tantos outros livros e produções cinematográficas que não silenciam, denunciam as inúmeras tragédias que se repetiram, em todas as famílias perseguidas pelos comandados de Hitler (de 1939 a 1944), aniquiladas no holocausto dos campos de concentração. O passado precisa ser estudado, para não o repetirmos nos erros. O  cinema relembra - isso é uma de suas realizações mais importantes - assim como os sobreviventes, o que não é mais notícia nas páginas de jornais e revistas da atualidade: o cinema não deixa esquecer. Homenageia os que foram assassinados. E multiplica a voz e a memória dos sobreviventes.
Theresa Catharina de Góes Campos
------------

Mantenha em sua residência uma atmosfera para bem receber quem chega. Na mesa, em recipientes de vidro ou qualquer outro material, coloque biscoitos nutritivos e saudáveis, ou castanhas e frutas secas.
Deixe também, na sala de visitas, cópias de artigos interessantes, folhetos e cartões para oferecer.
Em locais públicos, que sua mesa tenha a marca da hospitalidade. Que as pessoas se sintam acolhidas.
O sorriso, é claro, em qualquer lugar, democraticamente transmite alegria e diz a todos "bem-vindos". 
Theresa Catharina de Góes Campos
------------

O que mais se vê, quando alguém mais atento observa: seguranças presentes, porém estão olhando a tela de seus celulares, clicando e se divertindo com a leitura de mensagens não relacionadas ao trabalho que, no horário de serviço,  deveriam estar fazendo com mais responsabilidade. Constatamos, portanto, que os serviços prestados por seguranças em locais públicos, como shopping centers, mostram-se de pouca qualidade (menos efetivos!) no exercício de seus deveres específicos. Acredito que tais falhas precisariam ser corrigidas com uma boa supervisão e fiscalização desses profissionais. Sem isso, tudo parece contribuir para uma segurança sem efetividade, em nível adequado às necessidades de segurança.  
Theresa Catharina de Góes Campos
------------

Quando escrevemos um texto - seja literário ou não -, aconselha-se que, antes de divulgar ou enviar ao destinatário, fazer uma segunda leitura, para revisar atentamente, o que nos dá uma oportunidade de correção, evitando erros por descuido, desnecessários. Ora, se nos é aconselhável essa revisão, a importância de refletirmos sobre como estamos conduzindo nossa vida (rotina e decisões eventuais, opções) igualmente chegará a bons resultados. Talvez identifiquemos as verdadeiras prioridades, coloquemos em conformidade com nossos princípios e valores, tornemos algumas tarefas mais simples. 
Theresa Catharina de Góes Campos
------------

Ante o que nos perturba profundamente - sejam acontecimentos ou palavras - o que fazer? Por que se calar?
A quem falar, quando o que se pretendia dizer mudou, com a visão de imagens despedaçadas em seu significado?
Quando a realidade nos cerca e perturba, o sonho não pode ser fuga, precisa ser projeto a construir.
Theresa Catharina de Góes Campos
------------

De laços - laços familiares, laços afetivos, laços de amizade - assim a vida se vai tecendo e se enriquece. Por encontros e conexões a existência de cada ser humano se amplia e cresce. Viveu assim - valorizando e se alimentando de laços, em sua vida tão breve - o escritor, aviador e herói francês Antoine de Saint-Exupéry (1900 - 1944).
A vida caminha assim, ladeada e preenchida, entremeada de vasos comunicantes, os laços que nos unem. 
Theresa Catharina de Góes Campos
------------


Theresa Catharina de Góes Campos
Brasília - DF, 23 de agosto de 2017

De: Maria do Carmo Pereira Coelho 
Data: 23 de agosto de 2017

Grandiosas observações!
Um abraço!
MCArmo


De: Elizabete Barros 
Data: 24 de agosto de 2017

Tia, lindos textos e pensamentos.
Gostei de todos.
Concordo plenamente sobre a importância do sorriso para que as pessoas se sintam bem-vindas.
Beijos da sobrinha 
Elizabeth


De: Maria do Carmo Pereira Coelho 
Data: 24 de agosto de 2017

Estimada Theresa Catharina,

Gosto muito de ler seus escritos, tanto em prosa, quanto em versos.
Você é muito feliz, daí o sucesso do seu trabalho.
Brasília, um dia, vai se orgulhar de você, da sua nobreza e da sua sabedoria.
Forte abraço!
MCarmo

 

Jornalismo com ética e solidariedade.